Subscribe:

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Mestra Nada !




Sexto Raio: Mestra Nada
Templo: Templo Rubi da Cura
Local: No Plano Etérico sobre a Arábia Saudita
Chama: Rubi
Atributos: Paz, Graça Divina, Sacerdócio, Idealismo, Cura
Músicas-chave: Concerto para Piano (2 extratos) [Grieg]; Meu Herói, “Soldado de Chocolate” (Herbert) e Tema de Lara, “Dr. Zhivago” (Maurice Jarre).

O Sexto Raio representa a devoção abnegada, a cooperação humilde, o serviço prestado, a cura e a paz. O Mestre Jesus foi o Chohan deste raio até pouco tempo atrás, quando foi promovido a Instrutor do Mundo. A mestra Nada é atualmente a Chohan deste Raio. Tendo empregado a Chama Rosa do Amor Divino, ela formou um grande “momentum”. A Mestra Nada é, também, mensageira do Deus Meru, cujo Templo da Iluminação está localizado na América do Sul.

Durante o período de Dispensação Crística, a Mestra Nada, por muitos anos, prestou valiosa assistência; agora, ela derrama seu amor e auxílio através do Sexto Raio.

A Mestra Nada atua também no Terceiro Raio, que junto ao Sexto,contribui, com a ajuda de seus anjos e devotos , para mitigar a tensão mundial e o peso astral da consciência coletiva.

Esta Mestra nos ensina sobre a devoção a DEUS e ao uso da Palavra.

Seu empenho é em iniciar e cuidar da família da era de Aquário.Ela traça seu círculo de amor em torno dos lares e famílias que seguem o caminho espiritual e nas quais os padrões acertados e ações corretas são ensinados às crianças desde cedo.

A Mestra Nada é a advogada da alma perante o tribunal da divina justiça, unificadora de famílias e de Chamas gêmeas; qualificadora do Amor como ministração e serviço a todas as partes da Vida.

Mestra da ciência da Palavra Falada ,apresenta dons da variedade de línguas e interpretação.

SEXTO RAIO

Virtudes: Amor ao Próximo, Serviço Abnegado, Idealismo, Compaixão, Devoção e Paz
Palavra Chave: Guerreiro que Marcha
Chacra: Plexo Solar (Estômago)
Som: Pequeno Assovio, Estalos e Sussurros
Perfume: Flor de Laranjeira
Dia da Semana: Sexta-Feira
Regência: Vênus e Marte
Símbolo: Rosa Rubi-Dourada

Liberte-se da “Síndrome de Mestra Nada” *

Dentro do contexto da hierarquia dos sete raios cósmicos e da Grande Fraternidade Branca, a Mestra Nada é a advogada da família humana, intercedendo junto à hierarquia espiritual quando cometemos erros graves. Ela sempre nos defende, pois ama os seres humanos e sempre acredita em nossa redenção, que somos bons e que merecemos uma nova chance.

A Mestra Nada é como uma mãe que por mais que veja seu filho errando e repetindo os mesmos erros ciclicamente, perdoa, ama incondicionalmente e aceita esses erros como um caminho de aprendizado.

Os grandes canalizadores das esferas espirituais afirmam que em momentos muito críticos onde a ignorância humana havia atingindo um ápice, quando o plano superior havia decidido extinguir a raça humana para que pudéssemos recomeçar nossa jornada espiritual de uma outra forma, foi a Mestra Nada quem se prostrou aos pés do Criador, suplicando-Lhe para que nos desse uma nova chance.

A Mestra Nada por ser uma Mestra Ascensionada tem condições de avaliar as situações que merecem uma segunda chance ou não. Ela tem iluminação suficiente para discernir quando as pessoas merecem uma atenção especial, o nosso amor ou não. Nós seres humanos encarnados em um corpo físico denso e cheio de carmas, não temos essa mesma condição e muitas vezes por tentarmos imitar a Grande Mestra Nada, erramos.

E muito.

Aquilo que chamo de “Síndrome de Mestra Nada” aplica-se a nós quando por qualquer motivo temos uma certa ingenuidade de acreditar que todas as pessoas são boas, honestas, confiáveis, amorosas, amigas e que elas sempre merecem uma nova chance. E com isso sempre perdoamos, aceitamos, relevamos, entendemos e as pessoas continuam errando e continuamos perdoando e alimentando esse comportamento alheio ruim sem impor os devidos limites de forma saudável. Esse comportamento nos prejudica muito!!! De uma certa forma, acreditar que todos são bons é positivo, lúdico, puro, mas também é infantil, pois todos nós seres humanos temos muitas situações e emoções que necessitam de purificação e evolução. Todos em essência somos luz, mas atualmente vivemos como lâmpadas empoeiradas, que precisam de limpeza e purificação para que a luz se manifeste verdadeiramente.

Que fique claro: atraímos essas situações e pessoas, exatamente para que curemos nossa ingenuidade de acreditar que o mundo é cor-de-rosa. Precisamos entender onde estamos e o que estamos fazendo, e muitas vezes só conseguimos obter essa compreensão através da dor e do sofrimento.

De uma certa maneira, acreditar que todos são “legais” gera uma expectativa interna com relação aos demais: esperamos que um comportamento que julgamos correto venha dos outros, e quando mostram sua verdadeira face, nos decepcionamos. E essa decepção vem de onde? Justamente da expectativa que depositamos ao acreditar em uma perfeição que muitas vezes é impossível para o outro, algumas vezes por uma questão de conhecimento, de crença, de educação formal, ou da falta de princípios éticos que o indivíduo carrega em sua alma. Muitas vezes a alma de um ser é tão primitiva, que o impede de enxergar a ética como ela é.

A ética é um princípio consciencial, interno, intrínseco à alma. A ética vai se depositando em nossa alma através de camadas de consciência que nos acompanham desde existências anteriores, por isso que muitas vezes torna-se impossível exigir um padrão de ética para quem ainda está nos estágios iniciais da evolução. Algumas pessoas não-éticas não fazem por mal, elas simplesmente não sabem o que é certo ou errado porque não foram educadas para isso, quando crianças não tiveram um adulto presente em tempo integral mostrando valores e princípios baseados na integridade e na idoneidade. A ética pode ser aprendida, sim: através dos exemplos e referências! É um campo de energia que se for transmitido através das gerações, constrói um mundo melhor. Atualmente sabemos que é inadmissível fumar em espaços públicos fechados, mas nas décadas passadas era perfeitamente normal e natural. Na Idade Média durante os banquetes, jogava-se restos de comida embaixo da mesa de forma natural, e hoje isso é anti-higiênico e ninguém mais faz, porque fomos educados para isso e adotamos uma nova postura diante das refeições, e esse é o caminho para que a humanidade evolua: através de referências e bons exemplos.

É muito bom acreditar que o mundo está evoluindo, que as pessoas estão buscando desenvolvimento espiritual, trilhando um caminho de luz. Realmente estes números estão crescendo, mas isso não significa que toda a humanidade já tenha se iluminado. E essa falta de luz muitas vezes manifesta-se com indivíduos bem próximos de nós, pessoas que julgamos conhecer e confiar cegamente.

O fator mais determinante para que a verdadeira personalidade aflore são as situações de pressão que um indivíduo precisa enfrentar. É no momento da pressão que vemos o indivíduo como ele realmente é. Na maioria das vezes a pressão inibe a racionalidade, e sobrando somente os instintos, vemos a verdade nua e crua. E ela sempre aparece.

Portanto, cuidado com a sua ingenuidade de achar que os que estão ao seu redor são seres perfeitos, pois não são, senão estariam vivendo em um Plano Superior à Terra. E mesmo que estejamos atentos, ligados e prudentes é um dever preservarmos o amor e o crédito que a Mestra Nada sempre nos dá, é nosso dever acreditarmos que um dia a raça humana atingirá a perfeição, mesmo lidando com os desafetos que estão ao nosso redor. Infelizmente, precisamos considerar que as pessoas em que mais confiamos podem trair a nossa confiança. É uma possibilidade, pode acontecer! Pensar que o ser humano é falível, traz um certo alívio, traz uma libertação e eliminação do controle que costumamos ter sobre tudo e todos.

Existe até um certo romantismo nesses conceitos que nos levam a buscar no outro o caminho da perfeição, pois muitas vezes não buscamos esse caminho em nós mesmos, gerando um mecanismo de transferência. No entanto, é um dever evolutivo mantermos a chama do amor e do perdão sempre acesas em nossos corações, só que de olhos bem abertos para a realidade e estabelecendo limites saudáveis em todas as nossas relações.

Faça como a Mestra Nada, acredite no amor, na energia da vida, na pureza do coração, mas sabendo que em algumas situações, as pessoas terão um comportamento diferente daquele que você espera... essa possibilidade existe!

Pense nisso!

Nota: O que aqui chamo de “Síndrome da Mestra Nada” é quando nos confundimos querendo fazer o papel da Mestra Ascensionada, um papel que somente Ela pode fazer pelo seu nível de iluminação e grau iniciático. Essa “síndrome” se manifesta quando somos extremamente ingênuos e distantes da realidade, acreditando que todas as pessoas no mundo são gentis, amorosas e perfeitas. Trata-se de uma espécie de ingenuidade, que nos leva ao sofrimento em função das expectativas de perfeição que projetamos nos outros.


Ref: 
http://www.luzdaserra.com.br/
http://www.caminhosdeluz.org/


0 comentários:

Inscreva-se por email