Subscribe:

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

A importância da audição para músicos




A audição é um dos cinco sentidos. O ouvido é o responsável pela capacidade de ouvir, ou seja, pela audição e pelo equilíbrio do corpo. É composta por três estruturas: orelha interna, orelha média, e orelha externa.

Ouvido externo: É composto pela orelha, ou seja, pelo pavilhão auricular e pelo meato acústico externo. No ouvido externo as ondas sonoras são concentradas.

Ouvido médio: É composto pela membrana timpânica, ou tímpano, como já foi chamado. A membrana auditiva é um conjunto de três ossículos (martelo, bigorna e estribo) e da tuba auditiva. Do ouvido médio, as ondas sonoras são transmitidas ao nervo auditivo.

Ouvido interno: É composto por três estruturas, (vestíbulos, cóclea, e ductos semicirculares) que são preenchidas por um liquido. Dentro da cóclea existem as células ciliadas. O ouvido interno aloja as terminações do nervo auditivo.



As vibrações sonoras que se propagam pelo ar, são captadas pelo pavilhão auricular e são direcionadas ao interior da orelha. Quando essas vibrações chegam até a membrana timpânica, que é uma pele rígida e fina que divide o canal auditivo e o ouvido médio, a mesma vibra. A membrana timpânica transmite, então, as vibrações para aos três ossículos da orelha média (primeiro o martelo, depois a bigorna e por último, o estribo), que por sua vez, transmitem as mesmas para a orelha interna, onde as vibrações fazem o liquido do interior da cóclea se movimentar. Dentro da cóclea, as células ciliadas captam esses movimentos e os transmitem, por meio de impulsos nervosos que percorrem um nervo até o córtex cerebral, onde a informação será interpretada.

A orientação postural, ou seja, o equilíbrio do corpo está relacionado ao sistema auditivo. O sistema vestibular, ou como é mais conhecido, o labirinto, é a parte do ouvido responsável pelo equilíbrio.

No decorrer do dia, as pessoas são expostas a diversos tipos de sons, como do trânsito, de músicas ou pessoas conversando. O som, quando é alto demais é conhecido por poluição sonora, pois pode criar problemas auditivos.

O som é medido em decibéis (dB). As pessoas com o aparelho auditivo considerado normal podem ouvir ruídos a partir de dez decibéis. Até oitenta e cinco decibéis, qualquer ruído é inofensivo, mas acima de cento e vinte decibéis, os sons podem causar dor e prejudicar a audição.

Os músicos estão constantemente expostos a sons, ruídos e muitas vezes em volumes excessivos praticamente durante todos os dias do ano e por muitos e muitos anos. Pois é, a exposição constante a níveis sonoros elevados, frequentemente como ossos de ofício dos profissionais de música, sejam eles cantores, DJs, técnicos de áudio ou produtores musicais, pode prejudicar e causar lesões irreversíveis à audição, prejudicando a vida profissional e pessoal.



O cantor Brian Johnson, vocalista da banda AC/DC, chocou os fãs ao anunciar recentemente que teria que abandonar a turnê mundial “Rock or bust” para não ficar surdo. O músico afirmou que foi informado pelos médicos de que os shows em grandes estádios poderiam comprometer sua audição. Apesar de não se declarar aposentado, ele afirmou que se dedicaria ao seu tratamento para perda auditiva, inclusive com o uso de aparelhos. Johnson não é o primeiro cantor famoso que enfrenta a surdez. Eric Clapton, Pete Townshend, Phil Collins, Jeff Beck, Neil Young, Noel Gallagher, Ozzy Osbourne e Chris Martin notoriamente têm perdas auditivas acentuadas. Mas por que isso acontece?

A exposição aos ruídos elevados – mesmo que sejam notas musicais – é prejudicial para a audição. Em longo prazo, elas podem causar danos às células ciliadas da cóclea, que tem um papel fundamental na transmissão das ondas sonoras para o cérebro, onde são “traduzidas”.

Estudo mostra problema em músicos de orquestra

Um estudo realizado pelo audiologista Sargunam Sivaraj, da Universidade de Massey, na Nova Zelândia, apontou que 60% dos músicos da orquestra local com idade entre 27 e 66 anos tinham perda auditiva. A pesquisa avaliou os músicos em alta exposição sonora por um período superior a 20 anos.
Além de constatar que a perda auditiva está relacionada com a exposição sonora, a pesquisa indicou que o problema tende a ser observado em músicos cada vez mais jovens.

Como os músicos podem evitar perdas auditivas?

É claro que o uso de protetores auditivos pode ajudar a minimizar esses danos. Mas, em muitos casos, os músicos simplesmente ignoram esse recurso por desconhecimento ou por acreditar que nada vai acontecer.

As pessoas que frequentam shows com música elevada ou que usam fones de ouvido no volume máximo também precisam ficar atentas ao risco de ter a audição prejudicada. Confira dicas para trabalhar com música ou curtir o seu som preferido sem prejudicar sua audição:

– Se estiver em locais com som elevado, utilize protetores auriculares

– Use os fones com volume adequado – até 80% do volume máximo – e, de preferência, em ambas as orelhas. Dessa maneira, você ouve melhor sem precisar aumentar o som
– Sempre faça pausas para que seu ouvido “descanse”
– Ao sair de um show, preste atenção na sua audição. Se perceber zumbido, pressão ou dor, procure um otorrinolaringologista. Esse sinal de fadiga auditiva pode indicar que algo está errado

Importância de falar sobre o assunto

Mais do que lamentar a perda auditiva, é importante que músicos como Brian Johnson alertem seus colegas músicos e a população em geral sobre cuidados com a audição,

 Leia mais sobre o assunto !!


Ref: http://www.aparelhoauditivo.com
http://www.infoescola.com/anatomia-humana/audicao/

0 comentários:

Inscreva-se por email