Subscribe:

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A elevação da consciência e a bioquímica cerebral



A neurociência é a bola da vez, desde então, descobertas neste campo, tem sido incrivelmente libertadora no que diz respeito ao funcionamento cerebral, e uma dessas grandes descobertas foi a natureza integrativa da plasticidade neuronal e sua neuroquímica com os estados de consciência, cognição e comportamento humano. Um número cada vez mais crescente de estudos revela a interdependência do subjetivo com o cérebro e vice-versa. Ao que tudo indica o cérebro é um aparelho materializador bioquímico de todo o universo emocional e transcendental da consciência.

 Todavia, ainda permanece insólito o "território" que se relaciona diretamente com a expressão da consciência na neurobiologia. Quem nunca sofreu por amor, e aquele sentimento pareceu uma dor física? Os estados de consciência ou estados emocionais (psicossoma), levam o cérebro a formular toda uma química específica, ou seja, uma informação material que torna o universo subjetivo plenamente material para o nosso corpo, bem como para nossas células. Isto significa que uma emoção, um pensamento para o corpo, passa a ser algo pontual, material e relacionável em nível celular. Esta nova perspectiva abre uma miríade de possibilidades em relação ao comportamento humano e a ponte psicossomática que liga o espiritual, o mental às células e órgãos, determinando a saúde e a doença, bem como motivação e apatia. O ditado antigo: "Mente sane corpore san" passa a ter toda uma lógica científica. Logo, o grau de importância que damos aos pensamentos(mentalsoma) e emoções (psicossoma) é determinante para que possamos funcionar de maneira harmônica e integral.

Em outras palavras, é fundamental avaliarmos o que se passa pela mente e o por quê de certas reações emocionais. Além disso, é preciso questionar o quê ou quem está despertando e evocando determinados estados. Pois, certamente, existem materiais químicos circulando pelo corpo, alimentando as células, fazendo com que toda a biologia exija da consciência estados emocionais e mentais para suprir a carência bioquímica. É incrível pensar que a neurofisiologia fornece uma base concreta, para que as emoções e pensamentos ganhem uma constituição bioquímica e passem a se comportar como entidades virtuais, muitas vezes regendo o funcionamento do corpo e se contrapondo a mente. Esta integração consciência-corpo-consciência revela que esta incógnita que denominamos consciência, sensibiliza e programa não apenas o cérebro mas sensibiliza também todo o universo celular, impregnando o seu estado imediato quimicamente nas células e levando-as a depender daquele mesmo estado químico.

"Cientistas mostraram que os eventos mentais se transformam em moléculas. Essas moléculas são literalmente mensageiros do espaço interior. Ter um pensamento não é somente praticar química cerebral, mas também química corporal. Cada pensamento, cada idéia, envia uma mensagem química ao núcleo de consciência celular...."(CHOPRA, 2002.Pág.91) Pensemos por um momento, em certas informações do mundo social externo que levam as pessoas a uma má impressão acerca de si mesmas, impressões saturadas de medo, de desvalorização, de mediocridade, de limitação, de idolatria de medos, de martirização pessoal e de auto-abandono. Pessoas assim, que não possuem um conhecimento que as leve a uma auto-valorização e que as aproximem de sua real natureza, são levadas sem se darem conta, a uma formulação de uma fisiologia e biologia da destruição. E essa mesma fisiologia atuará de modo a sensibilizar a mente para que a mesma se convença disso e como conseqüência se integre e consolide psíquica e quimicamente tal estrutura informacional como verdade.



Este processo determina toda a programação comportamental social. A maior parte das pessoas não percebe que estados emocionais que se repetem, mesmo que haja uma tentativa de controle, podem ser reflexos de um vício químico celular, catalisados por impressões na mente, isto é, condicionamentos de comportamento. O vício químico celular é um fator que muitas vezes se impõe ao processo psicológico, pois, uma vez que uma célula desenvolve um receptor para absorver aquela química emocional, a mesma passará a depender daquela química, ou seja, daquela emoção. Quando esses mesmos receptores são repetidamente bombardeados pela mesma química, eles se tornam menos sensíveis e requerem maiores quantidades da mesma química para serem estimulados, e assim as células se viciam em estados emocionais. Em termos comportamentais, uma pessoa perceberá uma recorrência emocional que a levará a re-editar aquelas experiências que fornecem o estado emocional exigido pelas células.

Por um outro lado, se levarmos em conta que o teor mental-emocional é materializado quimicamente, orientando o próprio corpo a retroalimentar a qualidade química emocional; isto significa que ao alterarmos o nível de pensamento e teor emocional para estados mais saudáveis e profundos, podemos ter no corpo uma "fábrica" de bioquímica de aprofundamento e de elevação da consciência. A elevação de consciência é um processo que envolve o questionamento das crenças e paradigmas para a penetração em níveis mentais que produzam condições para que o Eu superior se manifeste em pleno alinhamento com o Eu individual. Vale ressaltar, que o Eu individual é apenas um dos ângulos do Eu Superior dentre infinitos outros. Esta elevação de consciência permite com que nos relacionemos com todo o mar quântico de forma, que conhecemos como realidade, sem nos deixar impressionar, nível este que permite com que conheçamos a verdade por trás das coisas.

 E neste processo o conhecimento assume papel de destaque, pois a abertura para um novo conhecimento, um conhecimento que recupere as qualidades, a profundidade e a beleza do Eu verdadeiro, provoca no cérebro a produção de moléculas químicas com o teor desta elevação. Toda a fisiologia se eleva junto com a consciência. O sangue se energiza com a informação da elevação, os órgãos, as células e com isso provocamos o hábito celular para a elevação. Nesta dinâmica tornamos a comunidade celular, uma verdadeira plataforma de elevação espiritual que estimulará e sensibilizará a mente pelo impulso de elevação organo-celular. O resultado desta elevação psico-espiritual é a manifestação plena da integralização da harmonia. O corpo manifesta saúde integral. A mente se torna um reservatório de pensamentos profundos e de criatividade. E o ser reflete a unidade na nova química do absoluto.

Bibliografia: CHOPRA, Deepak.Creating Affluence: Wealth Consciousness in The Field of All Possibilities,USA: New Wolrd Library, 1993 http://www.consciencialucida.com.br/

0 comentários:

Inscreva-se por email