Subscribe:

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Prisões do Ego.



Ego (em alemão ich, "eu") designa na teoria psicanalítica uma das três estruturas do modelo triádico do aparelho psíquico. O ego desenvolve-se a partir do Id com o objetivo de permitir que seus impulsos sejam eficientes, ou seja, levando em conta o mundo externo: é o chamado princípio da realidade. É esse princípio que introduz a razão, o planejamento e a espera no comportamento humano. A satisfação das pulsões é retardada até o momento em que a realidade permita satisfazê-las com um máximo de prazer e um mínimo de consequências negativas.
A principal função do Ego é buscar uma harmonização inicialmente entre os desejos do Id e a realidade do Superego. Há muitos conflitos entre o Id e o Ego, pois os impulsos não civilizados do Id estão sempre querendo expressar-se. Freud destacava que os impulsos do Id são muitas vezes reprimidos pelo Ego por causa do medo de castigo. Ou seja, o Ego pode coibir os impulsos inaceitáveis do Id, o "desejo de roubar", por exemplo, seria um impulso do id (que é totalmente inconsciente). Porém, visto que o indivíduo não pode sobreviver obedecendo somente aos impulsos do Id, é necessário que ele reaja realisticamente a seu ambiente de convívio. O conjunto de procedências que leva o indivíduo a comportar-se assim, é o Ego. O Ego é, portanto, mais realístico do que o Id, visando sempre as consequências dos impulsos inconscientes do Id.
O Ego não é completamente consciente, os mecanismos de defesa fazem parte de um nível inconsciente.

O que é Ego:
Ego, a partir da interpretação filosófica, significa o “eu de cada um”, ou seja, o que caracteriza a personalidade de cada indivíduo.
O conceito de ego é bastante utilizado em estudos relacionados a psicanálise e filosofia. De acordo com a teoria psicanalítica, o ego faz parte da tríade do modelo psíquico, formado pelo ego, superego e Id.
O ego é considerado o “defensor da personalidade”, pois é responsável por impedir que os conteúdos inconscientes passem para o campo da consciência, acionando assim os seus mecanismos de defesa.
Uma das principais funções do ego é harmonizar os desejos do Id com a realidade do superego. Assim, o ego suprime as vontades inconscientes do ID com “medo” dos castigos que lhe serem direcionados.
O ego é responsável pela diferenciação que o indivíduo é capaz de realizar, entre seus próprios processos interiores e a realidade que se lhe apresenta.

Diferença entre Ego, Superego e Id

Todos fazer parte da chamada tríade do modelo psíquico. 
Ego, como dito, serve como um mecanismo de "defesa" e se desenvolve a partir da interação do ser humano com a realidade. Ele adequa os institos primitivos da pessoa (Id) de acordo com o ambiente onde esta vive. Ao mesmo tempo, busca satisfazer as necessidades do Id sem extrapolar os seus valores morais (Superego).
Id é o instinto nato do indivíduo, ou seja, os desejos, vontades e pulsões primitivas das pessoas, e que são filtrados pelo Ego e Superego.
Superego é um "conselheiro" para o Ego. Se desenvolve a partir da interação do invidíduo com a realidade e representa os valores morais e culturais que são assimilados pela pessoa.

Ego e a Teoria de Freud

O ego é fundamentado na teoria clássica de Sigmund Freud, que é um conjunto de hipóteses sobre o funcionamento do cérebro das pessoas.
Para Freud, o ego baseia-se que todo evento psíquico é determinado por eventos anteriores, ou seja, não há acasos. O ego também se baseia na existência do inconsciente, que se manifesta de diferentes modos na vida mental.
Saiba mais sobre a Psicanálise.

Alter ego

O alter ego é literalmente traduzido como um “segundo eu” ou “outro eu”. Consiste na existência de uma segunda personalidade presente em um único indivíduo.
Na literatura, por exemplo, o alter ego é quando determinado autor produz uma história sob o ponto de vista de uma outra pessoa, assumindo para si uma personalidade diferente da sua para construir aquela obra.
Já no ramo da psicanálise, o alter ego pode ser considerado um sintoma patológico, como o Transtorno Dissociativo de Identidade.
Descubra mais sobre o significado de Alter ego.

O que é Egocentrismo:
Egocentrismo é a condição ou estado de espírito do egocêntrico. Tem origem no grego, sendo a junção de egôn kêntron, que significa "eu no centro".
O egocentrismo consiste em uma exaltação excessiva da própria personalidade, fazendo com que o indivíduo se sinta como o centro da atenção.
Uma pessoa egocêntrica não consegue demonstrar empatia, ou seja, não consegue colocar no lugar do outro, porque está constantemente ocupado com os seu "eu" e com os seus próprios interesses.
Um indivíduo egocêntrico é também egoísta, porque pensa só em si ou pelo menos pensa em si mesmo em primeiro lugar. Ex: Ele só pensa no seu próprio bem! Aposto que se você pesquisar na internet a definição de egocentrismo, com certeza vai aparecer a foto dele.
O egocentrismo é frequentemente relacionado com a egolatria e narcisismo, ou seja, adoração de si próprio.

Piaget e o egocentrismo

Segundo o psicólogo suíco Jean Piaget (figura incontornável no âmbito da psicologia infantil), o egocentrismo é uma característica natural nas crianças que se encontram na segunda infância (entre os 3 e 6 anos). Isso acontece porque nesta idade, as crianças não são capazes de entender que os outros indivíduos possuem crenças, opiniões e pensamentos diferentes dos seus.



Em geral, as pessoas egocêntricas são apontadas como aquelas que consideram apenas a própria opinião, acreditam que somente suas histórias são importantes, enxergam-se como superiores em relação aos outros, são arrogantes e exaltam muito suas próprias qualidades.

Freud explica o ego como uma instância da personalidade que seria o nosso “eu” mais perceptível. Essa perspectiva considera o ego como a consciência que possuímos de nós mesmos, que é expresso conforme os conceitos que adquirimos ao longo de nossas experiências, bem como de nossos valores e cultura.

A partir do seu ego, cada um percebe os acontecimentos em sua volta de forma particular e isso influi em seu comportamento. A intensidade com a qual isso acontece varia, portanto, de indivíduo para indivíduo. Por esse motivo, podemos dizer que existem dois tipos de pessoas egocêntricas: aquelas que conduzem seu ego positivamente, visando apenas os seus benefícios na maioria das situações; e as que canalizam negativamente, apresentando uma baixa autoestima e se consideram inferiores aos demais.

No sentido profissional, as pessoas egocêntricas predominantemente no sentido positivo costumam ser mais confiantes e eficientes para atingir seus objetivos. Elas se esforçam mais para manter o seu perfil em evidência e se destacam pela sua competência. Já os indivíduos que possuem ego negativo são muitas vezes vistos sem grandes expectativas no mercado de trabalho principalmente porque são muito introvertidos e se sentem inferiores em relação aos seus colegas de trabalho, o que significa menor rendimento.

Em ambos os casos, as pessoas egocêntricas não conseguem identificar o tamanho do seu ego e apresentam principalmente problemas com relacionamento interpessoal. Em algum momento, esse perfil influencirá negativamente em sua carreira e impedirá que alcance seus objetivos.

Possuir certa dose de egocentrismo nem sempre é algo ruim. Isso porque, quando as pessoas conhecem seu potencial e acreditam que podem desempenhar determinadas tarefas com perfeição e assertividade, sem hesitações e com determinação e foco.

Quando a pessoa não está muito segura de si, por outro lado, não apresenta confiança para realizar determinada tarefa, e o peso desse sentimento pode influenciar negativamente em suas escolhas e no resultado final.

Tanto grande doses de egocentrismo, quanto pequenas são prejudiciais à vida profissional e pessoal. Por isso, é necessário alcançar equilíbrio emocional em que a autoestima predomine, sem exaltar o ego.

ASPECTOS NEGATIVOS DO EGOCENTRISMO

Como as pessoas que possuem um ego elevado oferecem melhor produtividade, são bem vistas no mercado de trabalho. Ao mesmo tempo, considerar-se o centro de todos os interesses pode prejudicar o relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho. Líderes com essa característica causam medo e não dão espaço para os outros propor ideias ou se desenvolverem. Como liderado, profissionais com ego elevado costumam gerar problemas com o seu gestor, porque querem sempre se sobressair e ganhar destaque.

Se durante a entrevista, os egocêntricos positivos são aqueles mais notados pelas empresas e contratados, depois de um tempo começam a incomodar. Uma organização é feita da colaboração de várias pessoas, por isso esses indivíduos tendem a prejudicar o trabalho em equipe.

Dessa forma, as pessoas com ego positivo devem saber trabalhar esse traço de sua personalidade para não acabar escorregando no relacionamento com seus colegas e ter que arcar com as consequências disso. Confira quais são as principais.

DESGASTE NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
Ao se portar como o centro das atenções e enaltecer sua superioridade perante aos demais, o indivíduo transmite arrogância e egoísmo, o que pode causar conflitos e influenciar negativamente no clima organizacional.

DIMINUIÇÃO DA VISÃO SISTÊMICA
Quando o indivíduo acredita que possui todas as ferramentas necessárias para a perfeita consecução das atividades, mesmo que não as tenha, passa a trabalhar sozinho, sem dar espaço à colaboração dos outros ou delegar funções. Isso pode prejudicar as atividades da empresa, visto que cada profissional possui uma habilidade específica e está ali para aplicá-la em prol dos resultados.

AFASTAMENTO DAS PESSOAS
Pessoas egocêntricas geralmente se preocupam apenas com suas próprias necessidades, ignorando as vontades e desejos dos demais. Essa falta de assistencialismo provoca o afastamento os outros, pois todos necessitam e gostam de se sentir amparados. Ao mesmo, os egocêntricos são vistos com repúdio pelos seus colegas e tendem a perder o apoio deles em diversas situações.

DIFICULDADES EM REALIZAR UM DIAGNÓSTICO PESSOAL
Realizar um diagnóstico pessoal significa olhar para si e refletir sobre todos os aspectos de sua vida. O indivíduo egocêntrico tem dificuldade em fazer esse exercício, pois não possui a capacidade de olhar pelo ponto de vista de outras pessoas, restringindo o autoconhecimento.

Os gestores devem ficar atentos para identificar comportamentos dos egocêntricos que estejam prejudicando os resultados e propor soluções para evitar as consequências mencionadas. A realização de feedback é a forma mais adequada para isso.

COACHING CONTRA O EGOCENTRISMO
Por meio da aplicação de ferramentas e métodos específicos, o Coaching oferece às pessoas a possibilidade de construir uma nova percepção sobre si mesmo, abandonando o egocentrismo e conseguindo constituir uma nova forma de lidar com os outos. Conheça mais sobre a formação em Coaching mais completa do Brasil, o Professional and Self Coaching – PSC do Instituto Brasileiro de Coaching – IBC.

                        


Ref: http://www.jrmcoaching.com.br
https://www.significados.com.br
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ego

0 comentários:

Inscreva-se por email