Subscribe:

sexta-feira, 18 de março de 2016

Vamos falar sobra cada um dos 7 principais chacras " Kundaliní "

                                                    



Kundaliní (em sânscrito: कुंडलिनी, Kundaliní) é uma energia física, de natureza neurológica, concentrada na base da coluna; O termo é feminino, deve ser sempre acentuado e com pronúncia longa no í final. Muitos por a considerarem sagrada, grafam o nome com "K" maiúsculo. O símbolo do caduceu é considerado como uma antiga representação simbólica da fisiologia da Kundalini;

É um poder espiritual adormecido no osso sacro que só pode ser despertado por uma alma realizada de alto nível. Depois do despertar a Kundalini atravessa seis chakras que estão acima. São eles: swadisthana, nabhi, anahata, vishuddhi, agnya e Sahasrara.

Ao subir pela coluna vertebral chega-se ao sétimo chakra dando a iluminação ou Nirvana para o discípulo. Esse processo ocorre somente para pessoas de altíssimo nível espiritual, que estejam preparadas ou para aqueles que recebem essa bênção da Divina Mãe Shri Mataji Nirmala Devi. É o poder espiritual ou físico (dependendo da linhagem esotérica ser espiritualista ou naturalista) primordial ou energia cósmica que jaz adormecida acima do primeiro chakra o Muladhara, ficando no osso sacro chamado de Múládhár Chakra, o centro de força situado na base da coluna. É a energia que transita entre os chakras que são centros de energia no corpo físico.

Deriva de uma palavra em sânscrito que significa, literalmente, "enrolada como uma cobra" ou "aquela que tem a forma de uma serpente". É a energia do Universo em seu aspecto Purna-Shakti, total, como potencial, sendo o Prana-Shakti o aspecto biológico, ou fisico, etc.

É também tema de estudo no campo da psicologia onde a reputam de difícil condução com a disciplina e maturidade que são requeridas para esse intento.


Kundalini é o poder do desejo puro dentro de nós. A energia de nossa alma e de nossa consciência. A emanação do infinito, da energia cósmica que vibra dentro de cada ser humano. Como energia criativa,o Kundalini pode ser imaginada a uma serpente enroscada e adormecida na base da coluna e, que ao ser despertada, expande de forma extraordinária nossa consciência.A palavra sânscrita tem sido traduzida de várias maneiras, em geral por aqueles que não têm uma concepção real, seja ela qual for, da função que é a sua marca. Supõe-se que a raiz da palavra seja o verbo kund, que significa “queimar”.


Este é o significado essencial, pois a kundalini é Fogo em seu sentido de abrasamento. Contudo, temos uma explicação adicional para a palavra no substantivo kunda, que significa orifício ou cavidade. Isso nos dá uma idéia do recipiente onde o Fogo arde. Mas há muito mais do que isso. Há também o substantivo kundala, que significa bobina espiral, anel. Temos aqui um noção do modo pelo qual o Fogo atua e se desenvolve. A palavra kundalini se originou de todos esses derivados, que atribuem uma feminilidade criativa ao Fogo, o Fogo Serpentino, como algumas vezes é chamado, o poder criativo feminino que está adormecido dentro de uma cavidade, dentro de um útero, despertando para o movimento rítmico da impetuosa subida e para a emissão de torrentes de fogo. Ela é uma palavra que significa o aspecto feminino da força criativa da evolução, força esta que jaz adormecida, em sua potencialidade específica e muito particular, como que em posição fetal em um útero, na base da espinha dorsal humana.


Na maneira ocidental de pensar, a kundalini é freqüentemente associada com a prática contemplativa ou religiosa que pode induzir ou alterar o nível de consciência, espontâneamente ou através da ioga, de drogas psicoestimuladoras ou, ainda, por experiências próximas à morte. A kundalini, segundo muitos, é uma metáfora para os movimentos ascendentes espiralados da energia espiritual e consciência, desde a base da coluna vertebral até o cérebro. A subida da kundalini ativaria os diversos chakras, enquanto sobe desde o mais inferior até o mais superior. Na literatura clássica da Hatha Ioga, a kundalini é descrita como uma serpente enrolada na base da espinha vertebral, que seria um grande reservatório de energia espiritual criativa (Shakti). As religiões do extremo Oriente falam de uma força mística chamada kundalini. Outros nomes teriam sido dados a essa força: elã vital, bio­eletricidade, prana, espírito, orgone.A Kundalini é o suporte de nossas vidas; é Ela que faz tudo funcionar no corpo. Sem Kundalini, nós morreríamos. O que chamamos de “ativar/despertar a Kundalini” são, na verdade, provocar uma irradiação de energia maior do que a “normal”. Como é uma energia densa, pouco sutil, e irriga principalmente os centros sexuais, ela é normalmente usada para o sexo (a força-­motriz da espécie animal), mas nada impede que nós, pela VONTADE, direcionemos o grosso da Kundalini para outras funções, como religiosidade, carisma, oratória, esportes, etc. Por isso que algumas pessoas literalmente “transbordam” energia em algumas atividades, e se destacam por conta desse redirecionamento de “prioridades”.

O “perigo” da ativação da Kundalini é que essa dose extra de energia potencializa tanto seus pensamentos bons quanto seus pensamentos maus. E tudo o que pensamos, “Criamos”, de certa forma, e atraímos pra nós . Aconselha-­se, então, purificar (ou pelo menos “domar”) primeiro sua mente, e buscar ativar a Kundalini só depois. Há muitas maneiras de despertar a Kundalini. Ela pode ascender por meio de uma intensa devoção a Deus, pela repetição de um mantra ou pela prática de exercícios de Yoga. Em alguns casos, o aspirante pode até experimentar um despertar espontâneo (segundo o guru indiano Muktananda, devido ao mérito acumulado com as sadhanas= ­ práticas espirituais ­ em vidas passadas).





https://pt.wikipedia.org/wiki/Kundalini
http://luizantoniosoares.blogspot.com.br/2015/08/a-cura-kundalini.html

0 comentários:

Inscreva-se por email